setPostViews(get_the_ID());

Colar é bom pra todo mundo

Colar é bom pra todo mundo

Vou resumir em um parágrafo, aí a gente conversa: o aluno cola, tira dez e passa de ano; o professor deixa colar, aumenta sua taxa de aprovação e fica mais motivado para dar suas aulas; o diretor finge que não sabe de nada e dá pulinhos de alegria com o índice de rendimento da escola nas alturas; e os pais realmente não sabem de nada e podem sentir orgulho de seus filhos em paz. Num modelo de educação em que erros soem como as trombetas do apocalipse, a providência divina vem na forma de cola.

Bom aluno não é só quem tira boas notas, isso é óbvio. Mas, se você é ou já foi aluno, sabe muito bem que, no fim das contas, boas notas são parecidas com bom senso: tem gente que não tem, mas é melhor ter do que não ter. Colar na prova pode ser a diferença entre passar ou repetir o ano, é a solução mágica para as matérias sem sentido, é garantia de nunca ter o pai chamado para aquela visitinha nada agradável.

Para os professores a situação é mais ambígua. Eles precisam condenar a prática publicamente, pregar a virtude da honestidade entre os alunos, mas quando são obrigados a atribuir uma nota baixa, é inevitável que a consciência lhes sussurre na orelha, “putz!, nem pra colar esse aí serve”. Quanto mais os alunos colam, mais altas as notas, mais motivados ficam os professores e menos os pais reclamam.

Felizes mesmo são os administradores, que não aplicam provas nem as corrigem. Seu trabalho é criar um ambiente propício para que boas notas surjam fácil e espontaneamente, como num passe de mágica – o truque não é tão importante quanto o coelho que sai da cartola. Um índice de rendimento alto pode ser a maquiagem perfeita para alunos desengajados, ausência de inovação nas metodologias de ensino e falta de participação de toda a comunidade escolar. Além, é claro, de ser um infalível repelente dos pais, cuja presença na escola é o eterno pesadelo dos diretores, dos professores, dos alunos… e dos pais.

Isso tudo, claro, se o aluno não for pego. Caso contrário, a coisa toda desanda: o aluno tira zero, a taxa de reprovação do professor aumenta, o índice de rendimento da escola diminui, e os pais recebem ligações preocupantes.

 

Com certeza existem soluções mais confiáveis do que a cola para todos esses problemas. Mas sobre essas a gente conversa outro dia. O que eu queria agora era saber a situação na sua escola. Os alunos colam muito? Pouco? Ou você prefere nem saber pra não se assustar?

 

***

 

Para saber sobre soluções mais confiáveis do que a cola, entre em contato por [email protected].

Gostou? Curta, compartilhe e comente!