setPostViews(get_the_ID());

Protagonismo

A minha escola dos sonhos por Patrizia Bittencourt

A minha escola dos sonhos por Patrizia Bittencourt

“Ser preparado contra a surpresa é ser treinado. Ser preparado para surpresa é ser educado.”

James P. Carse

Imagine a escola dos sonhos na preparação dos estudantes para a vida adulta. Eu imaginei e gostaria de compartilhar com vocês.

A minha escola dos sonhos é uma escola feita e voltada para os jovens. Ela tem suas bases na fundamentação teórica para o pensamento crítico em direção ao aprofundamento posterior sobre qualquer coisa. Ela parte de uma base sólida em fundamentos de lógica, gramática e retórica, ao lado de artes, idiomas e atividades corporais. Ao dominar o uso da linguagem, ao terem contato com as artes e atividades corporais eles avançam para os estudos do mundo material como aritmética, geometria e as ciências. A partir daí os jovens reconhecem melhor sua criatividade e habilidades.  Preparados, eles podem escolher e tomar as direções de estudos mais avançados que desejam, a partir de seus talentos. Em seguida eles escolhem um foco e daí sim, sintetizam o conhecimento para dar-lhe impacto que desejaram.

Ao longo dos séculos, a estruturação da educação com bases nas habilidades filosóficas se dissolveu e deu lugar ao ensino didático universal, perdendo de vista a conotação individual, que era a essência da verdadeira educação.

No século 21, entretanto, revela-se uma volta à valorização do individual na educação, há uma mudança de paradigma em curso também na educação. Não é à toa que já existem universidades dos mais variados programas e formatos. Movimentos, metodologias  e iniciativas de resgate da educação formadora de bases nas habilidades filosóficas voltam com força total, engendrados por pesquisadores da ciência cognitiva, que combina psicologia, neurociência e sistemas da computação.

A minha escola dos sonhos é flexível, constrói pensamento crítico, permite a imersão cultural e a experimentação. A escola permite aos jovens conhecer e desenvolver suas próprias habilidades, lhes permite que combinem suas habilidades com a de outros na construção de projetos para o bem comum. Permite que escolham caminhos. A escola prima pelo desenvolvimento individual ao mesmo tempo em que valoriza e ativa o senso do coletivo, acolhe a diversidade humana, promove a interação dos jovens com a comunidade onde se encontram e estimula e premia ações concretas de preservação do planeta.

Patrizia

 

 

Gostou? Curta, compartilhe e comente!